Advertisement

Main Ad

Mortes de yanomamis no 1º ano de Lula superam toda gestão de Bolsonaro

Em 2023, o Ministério da Saúde registrou 363 mortes de yanomamis, marcando o primeiro ano da gestão da crise sob o governo Lula (PT). Este número ultrapassa todos os anos da gestão de Jair Bolsonaro. Em 2019, foram registradas 259 mortes. Nos anos seguintes foram 332, 249 e 343.

Apesar do recorde de mortes já em seu primeiro ano de governo, Lula não foi responsabilizado pelas mortes. Já Bolsonaro, que registrou menos mortes de índios que seu sucessor, chegou a ser acusado de promover genocídio da população Yanomami.

Antes de investigar Bolsonaro por genocídio, o STF já havia determinado a adoção de medidas para proteção dos povos indígenas e que fossem adotadas medidas para amenizar a crise humanitária por parte do ex-presidente. Via (Linhares Jr).

Postar um comentário

0 Comentários